sábado, 19 de novembro de 2016

GP Taça da China 2016 - Dança

GP Taça da China 2016


Em Pequim

Nos dias 18 e 19 de Novembro



Análise


Maia e Alex Shibutani conquistaram a medalha de ouro nesta competição e ao fazê-lo garantiram um lugar na final do grande prémio que se vai realizar em Dezembro.

Os irmãos Maia e Alex Shibutani ficaram em segundo lugar na dança curta com uma pontuação de 73.23pts. A dança foi bem apresentada mas a sequência parcial de passos foi apenas classificada com o nível 2 e, como consequência, o valor base do elemento foi mais baixo. Os twizzles (8.14pts) e os passos obrigatórios (5.94pts) cumpriram os critérios exigidos para o nível 4. A figura de elevação (5.54pts) e a sequência de passos em que os patinadores não se tocam (9.61pts) foram de nível 3. As suas médias nos segmentos da nota de apresentação foram fixadas em 8.96 na perícia, 8.93 nas transições, 9.25 na performance, 9.14 na composição e 9.18 na interpretação da música/timing.


Na dança livre, Maia e Alex obtiveram uma pontuação de 111.90pts que lhes permitiu fazer uma remontada e ascender à liderança. A sua nota técnica de partida foi de 39.80pts e foi melhorada para 55.59pts graças aos excelentes graus de execução em todos os elementos. Os twizzles (8.23pts), o peão (7.40pts), as figuras de elevação (17.95pts) preencheram os critérios exigidos para o nível 4. A sequência de passos na diagonal foi classificada com o nível 3 e recebeu 9.30pts. O único senão no programa ocorreu na primeira sequência de passos pois a mesma foi meramente de nível 2, tendo amealhado 8.11pts. Os dois elementos coreográficos foram deixados para o final do programa e trataram-se de uma figura de elevação (2.10pts) e um twizzle (2.50pts). Quanto à escala individual de cada juiz para os segmentos dos componentes, destaco a juiz australiana Patricia Moritz que lhes marcou a nota de 10.00 na performance, na composição e interpretação da música/timing. As suas médias foram muito altas: 9.39 na perícia, 9.21 nas transições, 9.50 na performance, 9.39 na composição e 9.43 na interpretação da música/timing.  




Kaitlyn Weaver & Andrew Poje conseguiram uma pontuação de 73.78pts na dança curta e ficaram em primeiro lugar nessa fase da competição. Esta pontuação bem como a liderança foi uma surpresa. É que Andrew cometeu um erro bem visível nos twizzles mas o elemento não foi punido com grau de execução negativo. Caso isso tivesse ocorrido a sua pontuação teria sido inferior e muito provavelmente teria colocado este par na terceira posição. Em termos de execução, a juiz alemã colocou um 0 e a juiz australiana foi a única que aplicou -1. O restante painel marcou +1… Os twizzles receberam 6.11pts. Os twizzles, a sequência parcial de passos (9.46pts) e a sequência de passos em que os patinadores não se tocam (9.46pts) foram classificados com o nível 3. Os passos obrigatórios (6.20pts) e a figura de elevação (6.04pts) atingiram o nível 4. No que diz respeito aos segmentos que são avaliados na segunda nota, este par obteve médias de 9.04 na perícia, 8.93 nas transições, 9.29 na performance, 9.14 na composição e 9.25 na interpretação da música/timing.


Na dança livre, o par canadiano ficou na segunda posição com uma nota de 107.76pts. As figuras de elevação foram todas classificadas com o nível 4 e permitiram-lhe amealhar 18.04pts. Na minha opinião, a primeira figura de elevação foi a mais impressionante. A posição de ambos os patinadores é lindíssima, bem definida e, acima de tudo, foi muito bem executada. Na terceira figura de elevação, o par ultrapassou o limite de tempo permitido e por isso foi-lhes aplicada uma dedução automática de um ponto. O peão foi de nível 4 e rendeu-lhes 6.63pts. A sequência de passos em círculo foi de nível 3 e obteve 9.30pts. A sequência de passos na diagonal foi meramente de nível 2 e ficou com 7.64pts. Os elementos coreográficos apresentados foram um peão (1.90pts) e uma elevação (2.50pts). Os twizzles receberam 7.37pts mas eu fiquei com dúvidas quanto aos graus de execução atribuídos pela maioria dos juízes. É que na primeira parte dos twizzles, Andrew atrasou-se em relação a Kaitlyn e eles ficaram dessincronizados. Só na segunda secção dos twizzles é que Andrew realinhou a posição com Kaitlyn. Mesmo assim, três juízes marcaram +2 no grau de execução… Nos segmentos dos componentes as suas médias foram excelentes em todos os segmentos: 9.18 na perícia, 9.00 nas transições, 9.36 na performance, 9.25 na composição e 9.36 na interpretação da música/timing.


Alexandra Stepanova e Ivan Bukin conquistaram uma nota de 72.09pts na dança curta que lhes permitiu ficar na terceira posição nessa fase da competição. A figura de elevação (5.96pts), os twizzles (7.54pts) e os passos obrigatórios (5.86pts) atingiram o nível 4. A sequência parcial de passos (9.14pts) e a sequência de passos em que os patinadores não se tocam (9.14pts) foram de nível 3. Este foi o par que conseguiu a melhor nota técnica na dança curta com 37.64pts. No entanto, nos componentes eles ainda não são tão fortes como Weaver & Poje e os Shibutanis. As médias apuradas nos segmentos foram de 8.39 na perícia, 8.39 nas transições, 8.79 na performance, 8.68 na composição e 8.82 na interpretação/timing.


Na dança livre, Alexandra e Ivan foram terceiros classificados com uma pontuação de 105.32pts. As duas sequências de passos foram classificadas com o nível 3 e totalizaram 17.18pts. O peão (7.06pts) e os twizzles (8.14pts) foram elementos muito bem executados e tiveram um cunho pessoal de originalidade muito apreciado. Esses dois elementos preencheram os critérios exigidos para aplicação do nível 4. As três figuras de elevação também atingiram o nível 4, arrecadando um total de 17.01pts. Não obstante a boa execução, a terceira figura de elevação ultrapassou o limite de tempo permitido pelo código de pontos pelo que lhe foi aplicada automaticamente uma dedução de um ponto. Como elementos coreográficos, Alexandra e Ivan efectuaram um peão (1.90pts) e uma elevação (2.10pts). Em termos de segmentos que são avaliados na nota de apresentação, as médias apuradas foram de 8.64 na perícia, 8.64 nas transições, 8.89 na performance, 9.00 na composição e 8.93 na interpretação da música/timing.




Victoria Sinitsina & Nikita Katsalapov têm sido alvo de vários rumores nesta temporada. Um desses rumores dizia respeito à sua situação com os treinadores. Eles compareceram nesta prova acompanhados por Marina Zoueva. No entanto, é sabido que eles voltaram para Moscovo há alguns meses e têm treinado aí com Oleg Volkov. Ou seja, têm estado afastados do grupo de Marina Zoueva que está sediado nos Estados Unidos. Claro que há sempre a hipótese de gravarem os treinos e enviarem os vídeos para Marina Zoueva, para além, da possibilidade de comunicarem via Skype.


Victoria e Nikita foram quartos classificados na dança curta com uma nota de 70.24pts. Os passos obrigatórios (5.94pts), os twizzles (6.61pts) e a figura de elevação (5.79pts) foram classificados com o nível 4. A sequência parcial de passos (8.83pts) e a sequência de passos em que os patinadores não se tocam (8.83pts) cumpriram os critérios para o nível 3. Os twizzles beneficiaram de grau de execução positivo apenas em 0.01. Foi no limite. A maioria dos juízes aplicou-lhes o grau 0 nesse elemento enquanto dois juízes marcaram -1. Outros dois juízes marcaram +1. No que diz respeito à segunda nota, as médias obtidas foram de 8.57 na perícia, 8.36 nas transições, 8.64 na performance, 8.61 na composição e 8.61 na interpretação da música/timing.


Na dança livre, este par obteve uma pontuação de 101.70pts. Todos os elementos conquistaram grau de execução positivo apesar de não ter sido com graus tão elevados como aconteceu aos pares que ficaram no pódio. O peão (6.80pts) e os twizzles (7.03pts) atingiram o nível 4. As duas sequências de passos foram classificadas com o nível 3, tendo totalizado 16.87pts. As figuras de elevação foram todas de nível, sendo que lhes garantiram mais 16.67pts. Como elementos coreográficos, este par apresentou um peão (1.80pts) e um twizzle (1.70pts). Nos segmentos dos componentes que compõem a segunda nota, as médias apuradas foram de 8.36 na perícia, 8.21 nas transições, 8.54 na performance, 8.57 na composição e 8.68 na interpretação da música/timing. Durante o esquema, Victoria revelou algumas inseguranças que afectaram a impressão geral da dança. Quando assistirem ao vídeo da dança livre, podem constatar que Victoria sofreu alguns pequenos desequilíbrios durante o programa.
Destaque também para o par polaco que fez uma dança livre muito gira com a banda sonora do filme “Dirty Dancing”. A ideia é boa e foi bem apresentada.  





Vídeos


Shibutani & Shibutani
Dança curta

Dança livre


Weaver & Poje
Dança curta

Dança livre


Stepanova & Bukin
Dança curta

Dança livre


Sinitsina & Katsalapov
Dança curta

Dança livre


Kaliszek & Spodyriev
Dança curta

Dança livre


Wang & Liu
Dança curta

Dança livre


Cannuscio & McManus
Dança curta

Dança livre


Song & Sun
Dança curta

Dança livre


Chen & Zhao
Dança curta

Dança livre


Resultado final

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

GP Troféu de França 2016 - Senhoras

GP Troféu de França 2016

Nos dias 11 e 12 de Novembro

Em Paris




Análise


A competição de senhoras no grande prémio Troféu de França 2016 foi algo atribulada. No programa curto houve várias prestações bastante boas. No programa livre quase todas as patinadoras cometeram erros e a impressão geral não foi nada boa. No entanto, verdade seja dita, que a qualidade do gelo durante o programa livre estava longe de ser a ideal e muitas patinadoras devem ter sido prejudicadas por causa disso. Havia uma parte do rinque em que a superfície do gelo não parecia suficientemente sólida. Estava calor a mais junto da pista e isso acabou por ser comentado por várias pessoas.

Destaque também para a situação de Mao Asada. Tudo aponta para que ela esteja a padecer de uma lesão num joelho mas que a sua equipa decidiu que ela não devia desistir para que isso não fosse encarado como uma desculpa devido a um resultado modesto no programa curto.

Evgenia Medvedeva venceu a medalha de ouro de forma destacada confirmando todo o seu favoritismo. A jovem russa fez um programa curto impecável que conseguiu uma excelente nota de 78.52pts. Tecnicamente ela esteve muito bem e realizou uma combinação de triplo flip-triplo toe loop (12.16pts), um triplo loop (7.21pts) e um duplo axel (4.63pts). Todos os saltos foram efectuados na segunda metade do esquema o que permitiu amealhar pontuação bónus no valor base de cada um deles. Os peões foram todos classificados com o nível 4 e totalizaram 12.76pts. A sequência de passos foi o segmento elemento do programa e recebeu 5.40pts para além de também ter sido classificada com o nível 4. Nos segmentos dos componentes que fazem parte da nota de apresentação, as médias obtidas por Evgenia foram de 8.93 na perícia, 8.89 nas transições, 9.18 na performance, 9.21 na composição e 9.25 na interpretação da música.

No programa livre, Evgenia cometeu um erro num elemento de salto e teve de lutar por vários outros elementos. Não foi uma prestação tão fluída como em outras ocasiões. Ela, tal como várias outras atletas nesta fase da competição, foi prejudicada pela má qualidade do gelo. O erro ocorreu no triplo lutz, sendo que ela caíu na recepção do salto e não definiu claramente a entrada. Eu fiquei com a sensação que ela quis “fugir” a uma parte do gelo que não estava em boas condições e arrastou a definição de entrada a um ponto que não lhe permitiu realizar o salto com sucesso. Evgenia ficou com 3.90pts no triplo lutz graças ao facto de ter completado as rotações todas mas o elemento foi punido com grau de execução negativo. A queda foi ainda penalizada com uma dedução automática de um ponto. Em termos de saltos, Evgenia também nos apresentou uma combinação de triplo flip-triplo toe loop (11.40pts), triplo loop (6.81pts), triplo flip (7.23pts), combinação de duplo axel-duplo toe loop-duplo toe loop (6.70pts), combinação de triplo salchow-triplo toe loop (10.87pts) e duplo axel (4.06pts). Nos peões ela conseguiu amealhar 12.49pts, sendo que todos atingiram o nível 4. Na sequência coreográfica a nota obtida foi de 3.30pts e a sequência de passos de nível 4 recebeu 5.30pts. As médias fixadas nos segmentos dos componentes foram as seguintes: 8.86 na perícia, 8.86 nas transições, 9.00 na performance, 9.11 na composição e 9.14 na interpretação da música. Apesar do erro no lutz, Evgenia foi sem dúvida merecedora da medalha de ouro nesta competição.

Maria Sotskova teve uma excelente estreia no circuito sénior do grande prémio ao vencer a medalha de prata no Troféu de França. Mesmo sendo recém-chegada ao escalão sénior, Maria Sotskova já tem um estilo refinado. Ela faz-me lembrar Carolina Kostner quando era mais nova. No programa curto, Maria foi terceira classificada com uma pontuação de 68.71pts. Ela iniciou o esquema com uma combinação de triplo lutz-triplo toe loop (11.60pts), tendo deixado os restantes saltos para a segunda metade. O triplo flip (6.53pts) e o duplo axel (4.20pts) foram bem executados. Os peões foram todos classificados com o nível 4, totalizando 11.33pts. A sequência de passos recebeu 4.90pts e também foi de nível 4. Nos segmentos dos componentes as suas médias foram de 7.61 na perícia, 7.29 nas transições, 7.50 na performance, 7.68 na composição e 7.61 na interpretação da música.

No programa livre, Maria Sotskova foi das poucas atletas que não cometeu erros muito graves e não caiu. Esta patinadora foi segunda classificada nesta fase da competição com uma pontuação de 131.64pts. O único elemento punido com grau de execução negativo foi o triplo lutz isolado pois a terceira rotação não foi efectivamente completa. Esse elemento foi cotado com 3.92pts. Maria executou uma combinação de triplo lutz-triplo toe loop (11.00pts), triplo flip (5.70pts), triplo loop (6.61pts), combinação de triplo flip-loop simples-triplo salchow (11.42pts), combinação de duplo axel-duplo toe loop (5.13pts) e duplo axel (3.99pts). A sequência coreográfica rendeu-lhe 3.10pts. A sequência de passos recebeu 5.00pts e foi classificada com o nível 4. Os peões obtiveram 11.90pts e foram todos de nível 4. As médias nos segmentos que compõem a segunda foram de 8.00 na perícia, 7.71 nas transições, 8.07 na performance, 8.07 na composição e 8.07 na interpretação da música.

A jovem japonesa Wakaba Higuchi conquistou a medalha de bronze e fez uma excelente recuperação do programa curto para o livre. Ela teve uma boa carreira no escalão júnior e está a fazer uma transição promissora para o escalão sénior. No programa curto, Higuchi ficou com uma nota de 65.02pts. O maior erro ocorrido no esquema foi no salto isolado. As regras mandam que no programa curto o salto isolado seja no mínimo um triplo. Só que Higuchi apenas realizou um duplo flip. Por esse motivo, o salto isolado foi inválido e não pôde ser pontuado. No duplo axel (4.23pts) e a combinação de triplo lutz-triplo toe loop (12.53pts). Em termos de estruturação de esquema, Higuchi arriscou colocar a combinação da segunda parte do programa. A sequência de passos (5.30pts) e todos os peões (11.90pts) foram classificados com o nível 4. As médias nos segmentos dos componentes fixaram-se em 7.89 na perícia, 7.57 nas transições, 7.82 na performance, 7.71 na composição e 7.82 na interpretação da música.

No programa livre a nota conquistada por Higuchi foi de 129.46pts. A atleta japonesa cometeu dois erros: transformou o triplo lutz isolado num salto simples (0.66pts) e na combinação de duplo axel-triplo toe loop-duplo toe loop (8.07pts) pois a terceira rotação do toe loop não foi efectivamente completada. Essa combinação foi punida com grau de execução negativo. Os outros elementos de salto no esquema foram a combinação de triplo lutz-triplo toe loop (11.80pts), triplo loop (6.40pts), triplo salchow (5.80pts), duplo axel (4.49pts) e combinação de triplo flip-duplo toe loop (7.96pts). A sequência de passos foi de nível 3 e obteve 4.16pts. A pontuação atribuída à sequência coreográfica foi de 3.00pts. Os peões foram todos de nível 4 e receberam um total de 11.25pts. Nos segmentos dos componentes, as médias apuradas das pontuações atribuídas pelos juízes foram de 8.39 na perícia, 7.96 nas transições, 8.29 na performance, 8.21 na composição e 8.32 na interpretação da música.

A canadiana Gabrielle Daleman esteve em excelente posição para garantir um lugar no pódio mas teve de contentar-se com o quarto lugar final. No programa curto a sua pontuação foi de 72.70pts que a colocou na segunda posição nessa fase da competição. Os saltos realizados pela atleta canadiana foram a combinação de triplo toe loop-triplo toe loop (10.70pts), um triplo lutz (7.60pts) e um duplo axel (4.63pts). Os peões foram todos de nível 4 e receberam 12.12pts. A sequência de passos ficou com 4.30pts e foi de nível 3. Nos segmentos dos componentes as médias fixadas foram de 8.50 na perícia, 8.07 nas transições, 8.46 na performance, 8.36 na composição e 8.29 na interpretação da música. No programa, os elementos beneficiaram de graus de execução muito bons.

No programa livre as coisas não correram bem e Gabrielle ficou em sexto lugar nessa fase da competição com uma pontuação de 119.40pts. As coisas começaram mal quando ela falhou a tentativa de combinação de triplo toe loop-triplo toe loop que estava prevista. Ela apenas efectuou o primeiro triplo toe loop e caiu na recepção. O elemento foi punido com grau de execução negativo e foi-lhe aplicada uma dedução automática de um ponto. Esse triplo toe loop apenas obteve 2.20pts. Gabrielle tinha previsto realizar um triplo flip isolado mas apenas apresentou um salto simples (0.49pts) que acabou por ser ligeiramente punido com grau de execução negativo. A sequência de triplo salchow com duplo axel (6.38pts) também foi punido com grau de execução negativo. Os restantes saltos tiveram uma execução mediana. Ela ainda apresentou um triplo lutz (6.30pts), combinação de triplo lutz-duplo toe loop-duplo toe loop (9.86pts), triplo loop (6.31pts) e duplo axel (3.92pts). Os peões (11.40pts) e a sequência de passos (5.20pts) atingiram o nível 4. A sequência coreográfica amealhou 3.20pts. Os segmentos dos componentes ficaram com 8.39 na perícia, 7.86 nas transições, 8.07 na performance, 8.21 na composição e 8.18 na interpretação da música.

A super-estrela japonesa Mao Asada teve uma participação discreta no programa curto onde foi oitava classificada com uma pontuação de 61.29pts. Com os peões e a sequência de passos todos de nível 3, ela perdeu alguns pontos no valor base desses elementos. Além disso a combinação de triplo flip-duplo loop foi punida com grau de execução negativo devido à terceira rotação do flip ter sido incompleta em cerca de ¼ de volta. No programa livre, Asada foi décima classificada com apenas 100.10pts. Ela apresentou apenas uma combinação de saltos quando deveria ter realizado três. A única combinação realizada foi de duplo axel-triplo toe loop mas a terceira rotação do toe loop foi incompleta, tendo o elemento sido punido com grau de execução negativo. O único triplo isolado que ela conseguiu fazer foi o loop só que também foi penalizado em sede de grau de execução. De resto só efectuou saltos duplos. As notas dos componentes estiveram longe do que Mao conseguiu noutras ocasiões.

Gracie Gold não está a atravessar uma boa fase na sua carreira. Apesar de ter programas bem construídos nesta temporada, a atleta parece que está sem alma. No programa curto ela teve dois elementos de saltos inválidos: o duplo flip e o axel simples. No programa livre, Gold teve problemas em ambas as tentativas de lutz e no flip. A combinação de duplo axel-triplo toe loop também foi punida com grau de execução negativo.

Alena Leonova esteve em grande destaque no programa curto com uma coreografia diferente do habitual. Ela também ousou no visual ao apresentar-se como uma espécie de “Harley Quinn”. No entanto, no programa livre deitou tudo a perder. Com cinco quedas, Leonova foi das primeiras vítimas das mudanças nas regras constantes do Código de Pontos. É que com tantas quedas, ela levou uma penalização adicional. O total de deduções automáticas foi de nove pontos! A sua nota técnica foi apenas de 35.56pts. Foi uma pena.




Vídeos

Evgenia Medvedeva
Programa curto

Programa livre


Maria Sotskova
Programa curto

Programa livre


Wakaba Higuchi
Programa curto

Programa livre


Gabrielle Daleman
Programa curto

Programa livre


So Youn Park
Programa curto

Programa livre


Laurine Lecavelier
Programa curto

Programa livre


Mae Berenice Meite
Programa curto

Programa livre


Gracie Gold
Programa curto

Programa livre


Mao Asada
Programa curto

Programa livre


Yuka Nagai
Programa curto

Programa livre


Anastasia Galustyan
Programa curto

Programa livre


Alena Leonova
Programa curto

Programa livre



Resultado final


domingo, 13 de novembro de 2016

GP Troféu de França 2016 - Dança

GP Troféu de França 2016


Nos dias 11 e 12 de Novembro

Em Paris




Análise




A categoria de dança no Troféu de França 2016 foi completamente dominada pelos actuais campeões do mundo Gabriella Papadakis & Guillaume Cizeron. Mais uma vez eles espalharam classe e deslumbraram com os seus programas. Nesta competição não houve ninguém que lhes pudesse fazer frente. A luta pela medalha de prata e pela medalha de bronze foi renhida entre três pares: Hubbell & Donohue, Gilles & Poirier e Ilinykh & Zhiganshin.


Como era expectável, Gabriella e Guillaume conquistaram a liderança tanto na dança curta como na livre. Na dança curta eles conseguiram uma nota astronómica de 78.26pts. Com todos os juízes a marcarem-lhe notas de 9.00 ou mais em todos os segmentos avaliados na nota de apresentação. As médias apuradas foram de 9.43 na perícia, 9.29 nas transições, 9.50 na performance, 9.50 na composição e 9.57 na interpretação da música/timing. Apesar da enorme nota recebida, este programa ainda tem margem de manobra para melhorar. É que a sequência de passos em que os patinadores não se tocam (10.24pts) e a sequência parcial de passos (9.46pts) foram classificadas com o nível 3. Em competições futuras existem hipóteses de melhorar esses elementos em um nível, ou seja, para o nível 4 que é o máximo. Quanto maior for o nível maior será o valor base. Portanto ainda há possibilidade de aumentar a nota técnica de partida. Os twizzles (8.14pts), os passos obrigatórios (6.29pts) e a figura de elevação (6.30pts) atingiram o nível 4. Os graus de execução foram muito bons em todos os elementos com os juízes a marcarem +2 e +3.


Na dança livre, Gabriella e Guillaume conseguiram 115.24pts. Artisticamente eles continuam a seguir a mesma linha que apresentaram nas duas últimas temporadas. Tirando um 8.75 atribuído pelo juiz israelita no segmento de transições, todas as outras notas foram de 9.00 ou mais. A nota atribuída pelo juiz israelita nesse segmento não é descabida. O segmento das transições é o menos brilhante nesta dança livre mas ainda há a possibilidade de melhorar esse pormenor. No entanto, 8.75 é uma nota boa à mesma. Eles são um par com tanta qualidade que mencionar isso até parece mesquinho. As suas médias nos segmentos fixaram-se em 9.50 na perícia, 9.39 nas transições, 9.75 na performance, 9.57 na composição e 9.68 na interpretação da música/timing. Na escala individual de cada juiz, deu para ver que este par recebeu uma nota de 10.00 no segmento de interpretação/timing e duas notas de 10.00 no segmento de performance. Em termos técnicos, as duas sequências de passos conquistaram um total de 19.55pts, sendo que ambas foram de nível 3. As figuras de elevação, os twizzles (8.31pts) e o peão (6.97pts) atingiram o nível 4. O conjunto de figuras de elevação recebeu um total de 18.04pts. Os dois elementos coreográficos apresentados foram um twizzle (2.50pts) e uma elevação (2.40pts). Os graus de execução foram altos com +2 e +3 em todos os elementos. A qualidade na execução dos elementos apresentados é sem dúvida um dos pontos mais fortes deste par.


Madison Hubbell & Zachary Donohue terminaram a sua participação nesta prova com a medalha de prata. Na dança curta eles foram terceiros classificados com uma pontuação de 66.77pts. A coreografia, interpretação e escolhas musicais desta dança curta têm dividido os fãs. Eu confesso que também tenho algumas dúvidas sobre a forma como a composição foi feita e penso que isso deveria reflectir-se na nota dos componentes. Alguns juízes pensaram da mesma forma, nomeadamente o juiz israelita, o juiz bielorrusso, o juiz checo e a juíza canadiana que não lhes atribuíram notas acima de 8.75 em nenhum segmento. O juiz checo pareceu-me o mais acertado de todos ao atribuir-lhes 8.25 na perícia, 8.00 nas transições, 8.25 na performance, 8.00 na composição e 8.25 na interpretação da música/timing. No entanto, por exemplo, três juízes marcaram-lhe 9.00 no segmento de perícia. Não me parece que nesta prestação eles tenham cumprido os critérios para poder receber 9.00 no segmento de perícia. As médias finais apuradas foram de 8.64 na perícia, 8.43 nas transições, 8.57 na performance, 8.61 na composição e 8.75 na interpretação da música/timing. Os passos obrigatórios (6.20pts) e a figura de elevação (5.70pts) foram classificados com o nível 4. A sequência de passos em que os patinadores não se tocam foi de nível 3 e obteve 8.99pts. Os twizzles (4.94pts) e a sequência parcial de passos (6.54pts) foram meramente de nível 2.


Na dança livre, Madison e Zachary conseguiram o segundo lugar com uma pontuação de 107.81pts. Na minha opinião eles estiveram muito melhor na dança livre do que na curta. Nos segmentos dos componentes que fazem parte da nota de apresentação, as médias apuradas foram de 8.86 na perícia, 8.57 nas transições, 8.93 na performance, 8.79 na composição e 8.96 na interpretação da música/timing. Para a nota técnica, eles conseguiram uma maioria de +2 nos graus de execução. As duas sequências de passos conseguiram obter uma pontuação total de 18.44pts e foram classificadas com o nível 3. O peão (6.89pts), os twizzles (7.89pts) e as figuras de elevação atingiram o nível 4. Nas figuras de elevação eles conseguiram amealhar 17.36pts. A distribuição dos elementos no programa foi interessante pois as figuras de elevação foram todas efectuadas na primeira metade do esquema. Talvez seja uma opção devido à gestão do esforço físico. Os elementos coreográficos foram deixados para o fim da dança. Eles realizaram um twizzle (2.00pts) e uma elevação (2.30pts).


Piper Gilles e Paul Poirier formam um par carismático e que consegue cativar o público, tendo por isso uma enorme legião de fãs. Já fiz referência aqui no blogue que Paul é tecnicamente mais dotado do que Piper. Não obstante ela tem feito um esforço notável para evoluir. Depois do seu resultado no grande prémio Skate Canada, Piper e Paul tinham muitas esperanças de conseguir a segunda posição final neste evento para poder ter boas expectativas para se qualificarem para a grande final que se vai realizar em Dezembro.


Na dança curta, Piper e Paul ousaram uma apresentação um pouco diferente de todos os outros pares e mostraram mais uma vez que são intérpretes versáteis. Em termos de nota de apresentação, as suas médias nos segmentos dos componentes fixaram-se em 8.57 na perícia, 8.36 nas transições, 8.46 na performance, 8.71 na composição e 8.64 na interpretação da música/timing. No que diz respeito à parte técnica, Piper cometeu um erro durante a execução dos twizzles e o elemento teve de ser punido com grau de execução negativo. Os twizzles receberam apenas 3.96pts. Outro aspecto que os prejudicou foi que eles tiveram dificuldades na obtenção de níveis mais elevados em alguns elementos e isso fez com que o seu valor base fosse mais baixo. Os twizzles, os passos obrigatórios (4.74pts) e a sequência de passos em que os patinadores não se tocam (7.80pts) foram meramente de nível 2. A sequência parcial de passos foi de nível 3 e rendeu-lhes 8.51pts. A figura de elevação foi o único elemento que atingiu o nível 4 e obteve 5.53pts.


Eles recuperaram na dança livre sendo que todos os elementos beneficiaram de graus de execução positivo. A sua nota na dança livre foi de 106.04pts e permitiu-lhes ficar na terceira posição nessa fase da competição. As médias apuradas nos segmentos dos componentes foram as seguintes: 8.64 na perícia, 8.46 nas transições, 8.79 na performance, 8.96 na composição e 8.93 na interpretação da música/timing. A sequência de passos na diagonal foi de nível 2 e obteve 7.80pts enquanto a sequência de passos em círculo foi de nível 3 e recebeu 9.46pts. O peão (7.06pts), os twizzles (7.80pts) e as figuras de elevação (17.28pts) foram classificados com o nível 4. Os elementos coreográficos foram um peão (2.00pts) e uma elevação (2.10pts). Uma coisa que apreciei neste esquema foi a forma como os elementos técnicos foram distribuídos no programa. Eles colocaram duas figuras de elevação na segunda metade do esquema. Os elementos coreográficos foram levados a sérios e estavam mesmo verdadeiramente integrados no esquema. O peão coreográfico foi o quarto elemento e a elevação coreográfica foi apresentada mesmo no fim. Ou seja, eles distribuíram os dois elementos coreográficos pelo esquema em vez de se limitarem a deixá-los para o final.


Elena Ilinykh & Ruslan Zhiganshin estiveram a disputar uma medalha mas na dança livre deitaram tudo a perder. Na dança curta eles conseguiram a segunda posição com uma nota de 68.72pts. Quanto aos segmentos que compõem a segunda nota, as suas médias foram de 8.79 na perícia, 8.61 nas transições, 9.07 na performance, 8.93 na composição e 8.89 na interpretação da música/timing. A dança curta está bem construída mas em termos técnicos eles foram prejudicados por níveis baixos em três elementos. Os passos obrigatórios (5.00pts), os twizzles (5.80pts) e a sequência de passos em que os patinadores não se tocam (7.96pts) foram meramente de nível 2. A sequência parcial de passos (8.99pts) e a figura de elevação (5.54pts) foram de nível 3. Se não fossem os graus de execução positivos acumulados, a sua nota técnica podia não ter sido muito famosa…


Na dança livre este par foi quarto classificado com uma nota de 98.68pts. Eles foram penalizados com duas deduções automáticas de um ponto cada uma. Essa deduções referem-se a uma queda sofrida por Elena assim do nada e ao facto da primeira figura de elevação ter ultrapassado o tempo limite permitido pelo código de pontos. Nos segmentos dos componentes, as médias apuradas foram de 8.68 na perícia, 8.61 nas transições, 8.79 na performance, 9.14 na composição e 8.93 na interpretação da música/timing. Houve alguns juízes que lhes atribuíram a nota de 9.00 ou mais no segmento de perícia. Todos sabemos que Elena e Ruslan têm uma excelente técnica de base mas não foi isso que demonstraram nesta dança pelo que eu concordo com os juízes que lhes marcaram 7.75 e 8.00 nesse segmento. No que diz respeito à nota técnica, eles voltaram a ter problemas na obtenção dos níveis. As duas sequências de passos foram ambas de nível 2 e totalizaram 14.66pts. Os twizzles foram de nível 3 e obtiveram 5.86pts. A maneira como eles executaram os twizzles esteve mesmo no limite para lhe poder ser aplicado grau de execução negativo. Nesse elemento houve quatro juízes que lhe marcaram 0 e um juiz que marcou -1. A figura de elevação em curva foi de nível 3 e as restantes foram de nível 4. Nas figuras de elevação eles totalizaram 16.94pts. O peão atingiu o nível 4 e recebeu 6.63pts. Como elementos coreográficos, a escolha recaiu num twizzle (1.80pts) e numa elevação (1.80pts). Uma curiosidade acerca deste par é que eles não se apresentaram acompanhados por Igor Shpilband mas sim por Elena Kustarova. Na temporada passada foi dada a notícia que Elena e Ruslan se tinham mudado para o grupo de Shpilband nos Estados Unidos mas a verdade é que agora têm estado em Moscovo com Kustarova. Correm os rumores pelos fóruns que Elena e Ruslan perderam um patrocínio importante e tiveram de voltar para a Rússia. Eu não conseguiu encontrar nenhum comunicado oficial a esse respeito mas o que se passou no Troféu de França parece confirmar que eles estão novamente no grupo de Kustarova.




Vídeos

Papadakis & Cizeron
Dança curta

Dança livre


Hubbell & Donohue
Dança curta

Dança livre


Gilles & Poirier
Dança curta

Dança livre


Ilinykh & Zhiganshin
Dança curta

Dança livre


Tobias & Tkachenko
Dança curta

Dança livre


Lauriault & Le Gac
Dança curta

Dança livre


Nazarova & Nikitin
Dança curta

Dança livre


Mansour & Ceska
Dança curta

Dança livre


Alessandrini & Souquet
Dança curta

Dança livre


Kavaliova & Bieliaiev
Dança curta

Dança livre



Resultado final


sábado, 12 de novembro de 2016

GP Troféu de França 2016 - Pares

GP Troféu de França


Em Paris

Nos dias 11 e 12 de Novembro de 2016



Análise

A competição de pares no Troféu de França 2016 contou com a participação de 6 equipas em vez das 8 que estavam previstas. Os alemães Aliona Savchenko & Bruno Massot tinham todo o favoritismo e confirmaram-no ao conquistar a medalha de ouro com 3,65pts de vantagem sobre os segundos classificados.
Aliona Savchenko & Bruno Massot têm programas com conteúdo técnico muito ambicioso mas eles ainda estão numa fase de estabilizar os elementos, principalmente no que toca aos saltos lançados.
No programa curto, Aliona e Bruno lideraram com uma pontuação de 77.55pts. Trata-se de uma excelente pontuação mas Aliona não pareceu nem um pouco impressionada com isso. Ela tem mesmo um espírito competitivo admirável. O único elemento punido com grau de execução negativo neste programa foi o triplo axel lançado que perdeu 1.86 do valor base de 7.70pts. O triplo twist (7.90pts) inicial foi super impressionante e recebeu +3 por parte de oito dos nove juízes em sede de grau de execução. Esse elemento foi classificado com o nível 2. Como salto lado-a-lado, este par realizou um triplo salchow que recebeu 5.80pts. A figura de elevação (8.50pts) do grupo 5 de dificuldade e o peão (3.29pts) preencheram os critérios do nível 3. A sequência de passos (5.60pts) e a espiral da morte (4.90pts) atingiram o nível 4. Nos segmentos dos componentes que compõem a nota de apresentação, as médias obtidas a partir da conjugação das notas atribuídas pelos juízes foram fixadas em 8.86 na perícia, 8.61 nas transições, 8.96 na performance, 9.04 na composição e 9.18 na interpretação da música. Um dos juízes marcou a nota 10.00 no segmento de composição. Durante o programa curto, Aliona teve problemas no seu vestido mas o par livrou-se de uma dedução como consequência disso.
O programa livre foi um pouco atribulado mas foi suficiente para lhes garantir a liderança com uma nota de 133.04pts. Foram quatro os elementos a serem punidos com grau de execução negativo. Estava previsto que eles efectuassem uma combinação de triplo salchow-duplo toe loop-duplo toe loop mas a mesma só pôde ser cotada como triplo salchow-duplo toe loop-toe loop simples (3.10pts) devido a erros cometidos. Bruno colocou a mão na pista para ajudar a segurar a saída do triplo salchow e no duplo toe loop faltaram-lhe 2/4 de volta. No terceiro salto da combinação ambos marcaram apenas um toe loop simples. Na tentativa do triplo toe loop lado-a-lado (0.90pts), Aliona cumpriu um triplo como estava planeado mas Bruno apenas realizou um duplo. Por causa disso, esse elemento apenas pôde ser contabilizado como duplo. No triplo axel lançado eles ficaram sem 2.86 do valor base de 7.70pts. Além disso, Aliona não conseguiu segurar a recepção do salto e caíu sendo que lhe foi aplicada uma dedução automática de um ponto por causa disso. No triplo salchow lançado eles perderam 1.30 do valor base de 4.50pts essencialmente devido a uma má recepção do salto por parte de Aliona. Os restantes elementos conseguiram obter grau de execução positivo. O triplo twist de nível 2 recebeu 7.90pts enquanto a espiral da morte foi de nível 3 e obteve 5.30pts. A sequência coreográfica rendeu-lhes 3.70pts. Os peões foram ambos de nível 4 e totalizaram 10.00pts. Em termos de figuras de elevação, eles receberam um total de 23.96pts, sendo que a primeira foi de nível 4 e pertenceu ao grupo 5 de dificuldade, a segunda foi do grupo 3 de dificuldade e atingiu o nível 4 e a terceira foi do grupo 5 de dificuldade ficando com o nível 3. As suas médias nos segmentos dos componentes fixaram-se em 8.96 na perícia, 8.71 nas transições, 8.75 na performance, 9.04 na composição e 9.00 na interpretação da música. Este programa tem um enorme potencial e espero que ao longo da temporada eles consigam afinar os elementos onde têm manifestado problemas.
Evgenia Tarasova & Vladimir Morozov estiveram a lutar pela medalha de ouro mas tiveram de contentar-se com a prata. No programa curto este par conseguiu uma prestação muito boa que lhes garantiu uma pontuação de 76.24pts. Houve um elemento punido com grau de execução negativo: foi o peão final que perdeu 0.13 do valor base de 3.00pts. O triplo twist (8.50pts), a sequência de passos (5.20pts) e a figura de elevação (8.60pts) do grupo 5 de dificuldade foram classificados com o nível 4. O peão e a espiral da morte (4.50pts) foram de nível 3. No triplo toe loop lado-a-lado receberam 5.70pts e o triplo loop lançado obteve 6.50pts. Nos segmentos dos componentes, eu pensei que eles iam conseguir algumas notas mais altas na performance e na composição mas alguns juízes não entenderam assim. As suas médias fixaram-se em 8.57 na perícia, 8.43 nas transições, 8.71 na performance, 8.68 na composição e 8.57 na interpretação da música.
No programa livre, Evgenia e Vladimir ficaram em terceiro lugar com uma pontuação de 130.70pts. Eles patinaram o livre logo a seguir a Aliona e Bruno e sabiam que tinham grandes hipóteses de vencer caso fizessem um programa limpo. No entanto, o impacto deste programa foi muito menor do que o do programa curto. Aliás, até pareciam um par totalmente diferente mesmo em termos de atitude. Evgenia pareceu algo nervosa e isso prejudicou a projecção da interpretação do tema. O primeiro erro do programa ocorreu no quádruplo twist de nível 2 que perdeu 0.57 do valor base de 8.00. A recepção do twist foi um pouco “pesada”. O timing das rotações também não foi tão bom como noutras ocasiões. No entanto, este é um elemento que eles estão a experimentar em competição ainda há pouco tempo. Na combinação de triplo toe loop-duplo toe loop-duplo toe loop, Evgenia apenas fez um duplo toe loop em vez de triplo como salto inicial. Como segundo salto da combinação ele fez o duplo mas ela apenas realizou um salto simples. Depois ela marcou um salto simples como terceiro parte da combinação mas Vladimir foi perspicaz e percebeu isso. Então Vladimir também marcou o terceiro salto como simples para não prejudicar ainda mais o grau de execução. A combinação foi cotada como duplo toe loop-toe loop simples-toe loop simples e apenas recebeu 1.64pts devido ao valor base mais baixo e ao grau de execução negativo. Os outros elementos conseguiram reunir grau de execução positivo. O salto lado-a-lado isolado foi o triplo salchow que amealhou 4.90pts. Os saltos lançados foram o triplo salchow (5.50pts) e o triplo loop (6.30pts). O peão em paralelo (4.07pts) foi de nível 4 e o peão de par (3.57pts) foi de nível 3. As duas primeiras figuras de elevação pertencem ao grupo 5 de dificuldade e ambas foram classificadas com o nível 4. A terceira figura de elevação foi do grupo 3 e também atingiu o nível 4. O seu total nas figuras de elevação foi de 22,40pts. A espiral da morte de nível 3 rendeu-lhes 4.60pts e a sequência coreográfica permitiu-lhes arrecadar mais 2.80pts. No que diz respeito aos componentes, o painel esteve praticamente de acordo com a excepção de um juiz que só lhe marcou notas entre 7.25 e 7.75 em todos os segmentos. As suas médias finais foram de 8.61 na perícia, 8.32 nas transições, 8.43 na performance, 8.43 na composição e 8.39 na interpretação da música.
Vanessa James e Morgan Cipres seguraram a medalha de bronze depois de terem sido quartos classificados no programa curto e segundos no programa livre.
No programa curto Vanessa e James obtiveram uma pontuação de 66.05pts. O único elemento punido com grau de execução negativo foi o triplo flip lançado que perdeu 1pt do valor base de 5.50pts. No triplo twist básico (5.20pts) os juízes estiveram em desacordo quanto à qualidade de execução. Dois juízes marcaram +2 mas três juízes marcaram -1. Outros dois juízes marcaram +1 e outros dois atribuíram 0. No triplo salchow lado-a-lado eles receberam 4.70pts. A figura de elevação (8.60pts) do grupo 5 de dificuldade e a sequência de passos (4.70pts) atingiram o nível 4. A espiral da morte (4.10pts) e o peão (3.36pts) foram de nível 3. Nos segmentos dos componentes que fazem parte da nota de apresentação, as médias obtidas por este par fixaram-se em 7.75 na perícia, 7.57 nas transições, 7.71 na performance, 7.79 na composição e 7.79 na interpretação da música.
No programa livre, o par francês arrecadou uma nota de 132.53pts. Durante o programa houve dois elementos penalizados em sede de grau de execução. Foi o que ocorreu no quádruplo salchow lançado (6.20pts) e no triplo flip lançado (5.40pts). O triplo twist foi de nível 1 e recebeu 6.60pts. A espiral da morte (3.70pts) e ambos os peões foram classificados com o nível 3. Nos peões eles totalizaram 7.78pts e nas figuras de elevação amealharam 21.83pts. As figuras de elevação cumpriram os critérios exigidos para o nível 4. A sequência coreográfica permitiu-lhes juntar mais 3.20pts. Como saltos lado-a-lado, este par apresentou uma combinação de triplo toe loop-duplo toe loop-duplo toe loop (7.90pts) e um triplo salchow (5.30pts). No que diz respeito aos segmentos dos componentes, as médias apuradas foram de 8.07 na perícia, 7.79 nas transições, 8.18 na performance, 8.21 na composição e 8.14 na interpretação da música.
Os russos Natalia Zabiiako & Alexander Enbert ficaram em quarto lugar na classificação final muito por culpa do programa em que a sua nota técnica de partida foi significativamente inferior à do par francês. Além disso, eles cometeram erros nos saltos lado-a-lado durante a execução do programa livre. A escolha de ter um duplo axel como salto lançado no livre também os fez ficar imediatamente em desvantagem face aos franceses devido ao valor base. 


Vídeos

Savchenko & Massot
Programa curto

Programa livre


Tarasova & Morozov
Programa curto

Programa livre


James & Cipres
Programa curto

Programa livre


Zabiiako & Enbert
Programa curto

Programa livre


Castelli & Tran
Programa curto

Programa livre


Ziegler & Kiefer
Programa curto

Programa livre



Resultado final


GP Taça Rostelecom 2016 - Pares

GP Taça Rostelecom 2016


Em Moscovo (Rússia)

Nos dias 04 e 05 de Novembro


Análise



Aliona Savchenko & Bruno Massot venceram a medalha de ouro com cerca de dez pontos de vantagem sobre o par Natalia Zabiiako & Alexander Enbert que terminaram na segunda posição. A medalha de bronze acabou nas mãos de Kristina Astakhova & Alexey Rogonov. Os italianos Valentina Marchei & Ondrej Hotarek tiveram uma boa prestação apesar de alguns erros. Julianne Séguin & Charlie Bilodeau ficaram uns furos abaixo do esperado. Toda a gente estava na expectativa deles ficarem com uma medalha mas isso não aconteceu. A competição também ficou marcada pela ausência dos vice-campeões olímpicos Ksenia Stolbova & Fedor Klimov que tiveram de desistir antecipadamente devido a lesão.

Aliona Savchenko & Bruno Massot entraram na competição como os grandes favoritos à vitória mas no programa curto tiveram de contentar-se com a segunda posição e uma nota de 69.51pts. Não é que seja uma má nota só que eles estavam à espera de muito mais. O principal erro cometido durante o esquema ocorreu no triplo salchow lado-a-lado em que ambos caíram na recepção. As quedas foram imediatamente punidas com duas deduções automáticas no valor de dois pontos. O elemento também foi penalizado em sede de grau de execução e só conseguiu 2.30pts. As quedas podem ter sido provocadas pelo mau eixo de rotação nos saltos mas o caricato é que ambos iam em sintonia com o eixo de rotação inclinado demais. Até nesse erro eles estavam em sintonia. O outro erro que os prejudicou ocorreu na tentativa de triplo axel lançado (6.13pts) que foi penalizado com grau de execução negativo. Na figura de elevação (6.40pts) do grupo 5 de dificuldade não lhes rendeu tantos pontos como eles estariam à espera pois foi marcada com um B, que é equivalente a básico. Isto fez com que o valor base desse elemento fosse mais baixo em cerca de dois pontos do que uma figura do mesmo grupo de dificuldade mas de nível 4. A sequência de passos (5.20pts) e o peão (4.50pts) foram classificados com o nível 4 que é o máximo. A espiral da morte (4.50pts) foi de nível 3 e o triplo twist (7.70pts) foi de nível 2. O triplo twist é feito por este par de uma maneira espetacular. Ela parece que fica a flutuar no ar antes de ser apanhada por Bruno. É um elemento deveras impressionante. Os erros afectaram um pouco as suas médias nos componentes que se fixaram em 8.71 na perícia, 8.61 nas transições, 8.61 na performance, 8.79 na composição e 8.75 na interpretação da música/timing.

No programa livre, Aliona e Bruno conquistaram uma nota de 138.38pts e ficaram na primeira posição. O programa é impressionante e tem imenso potencial mas aqui na Taça Rostelecom eles tiveram alguns problemas com a execução de certos elementos. A combinação de triplo salchow-duplo toe loop-toe loop simples perdeu 1.30pts do valor base de 6.10pts. O plano era de fazer triplo-duplo-duplo. O axel lançado era suposto ter sido triplo mas ficou-se pelas duas voltas e meia, tendo sido penalizado em 1.30pts do valor base de 4.00pts. A maior erro ocorreu mesmo no final do programa quando Aliona caiu na recepção do quádruplo salchow lançado (5.20pts). A queda custou-lhes uma dedução automática de um ponto. Os restantes elementos conseguiram grau de execução positivo. A espiral da morte (5.60pts), os peões (9.72pts) e as figuras de elevação (23.74pts) atingiram o nível 4. O triplo twist foi de nível 2 e recebeu 7.90pts. O triplo toe loop lado-a-lado ficou com 5.40pts. Na sequência coreográfica eles amealharam 3.40pts. No que diz respeito aos segmentos que compõem a segunda nota, as suas médias foram as seguintes: 8.96 na perícia, 8.75 nas transições, 8.68 na performance, 9.00 na composição e 8.93 na interpretação da música.

Natalia Zabiiako & Alexander Enbert surpreenderam muita gente com a sua prestação nesta competição. O par russo passou um mau bocado devido a uma lesão que afectou Natalia mas agora parecem estar bem e em forma.

No programa curto, Zabiiako e Enbert conquistaram a liderança com 69.76pts. Com um visual a fazer lembrar personagens de contos de fadas, eles deram nas vistas com as linhas limpas e bem definidas. O triplo toe loop lado-a-lado foi pontuado com 4.60pts. O triplo loop lançado recebeu 5.70pts. O peão (3.79pts), a sequência de passos (4.80pts) e a figura de elevação do grupo 5 de dificuldade (8.50pts) preencheram os requisitos necessários para o nível 4. A espiral da morte (4.00pts) foi de nível 3 e o triplo twist (6.90pts) foi de nível 2. As médias obtidas por este par nos segmentos dos componentes foram de 7.96 na perícia, 7.61 nas transições, 8.07 na performance, 7.86 na composição e 7.82 na interpretação da música.

O programa livre de Zabiiako & Enbert ficou com 128.01pts. Eles não tiveram nenhum elemento punido com grau de execução negativo mas ficaram sem um elemento. O suposto triplo salchow lado-a-lado não lhes correu bem. Alexander fez uma má recepção no salto que foi marcada como queda e punida com uma dedução automática de um ponto. Natalia apenas efectuou um salto simples pelo que o elemento não foi considerado. Quanto aos restantes elementos as coisas até correram bem. Na combinação de triplo toe loop-duplo toe loop-duplo loop recebeu 8.00pts. Como saltos lançados eles realizaram um duplo axel (4.60pts) e um triplo loop (6.40pts). O peão em paralelo foi de nível 4 e obteve 4.00pts enquanto o peão de par foi de nível 3 e ficou com 4.36pts. As figuras de elevação atingiram todas o nível 4 e totalizaram 22.47pts. O triplo twist (7.20pts) e a espiral da morte (4.20pts) foram de nível 2. Na sequência coreográfica obtiveram 2.70pts. Como médias nos segmentos dos componentes, os valores foram de 8.25 na perícia, 7.96 nas transições, 8.11 na performance, 8.21 na composição e 8.14 na interpretação da música.

Kristina Astakhova e Alexey Rogonov são um bom par mas têm que resolver rapidamente o problema dos saltos lado-a-lado. Eles têm andado a testar alternativas mas está na hora de estabilizar. No programa curto eles ficaram em quarto lugar com uma nota de 65.51pts. O triplo salchow lado-a-lado foi o único elemento punido com grau de execução negativo. O triplo flip lançado recebeu 6.40pts. A figura de elevação do grupo 5 de dificuldade (8.70pts), a espiral da morte (4.70pts) e o peão (3.93pts) preencheram os critérios necessários para o nível 4. O triplo twist (6.80pts) e a sequência de passos (3.17pts) foram meramente de nível 2. O painel de juízes foi muito consistente nas notas que lhes marcaram em todos os segmentos e as suas médias acabaram por ficar em 7.64 na perícia, 7.36 nas transições, 7.71 na performance, 7.71 na composição e 7.71 na interpretação da música.

No programa livre Kristina e Alexey ficaram em terceiro lugar com uma pontuação de 123.23pts. Os saltos lado-a-lado voltaram a ser um problema e foram ambos punidos com grau de execução negativo. Os saltos deles foram cotados como triplo loop (3.70pts) e combinação de duplo salchow-duplo toe loop (2.29pts). Como saltos lançados, este par realizou um triplo flip (6.40pts) e um triplo loop (6.00pts). O triplo twist (7.00pts) e a espiral da morte (4.40pts) foram classificados com o nível 3. Os dois peões atingiram o nível 4 e totalizaram 8.42pts. A primeira e a segunda figuras de elevação foram do grupo 5 de dificuldade e foram classificadas com o nível 4. A terceira figura de elevação perdeu o nível 4 quando a patinadora não conseguiu agarrar a lâmina do patim durante a execução da figura. Isso fez com que a figura acabasse por ficar com nível 3. Ao não conseguir agarrar o patim é como se a figura que foi proposta apresentar não tivesse tantas variações pelo que isso afectou o nível mas não necessariamente a execução. O total obtido nas figuras de elevação foi de 19.64pts. Na sequência coreográfica arrecadaram 3.10pts. Nos segmentos dos componentes, as suas médias fixaram-se em 7.71 na perícia, 7.50 nas transições, 7.86 na performance, 7.96 na composição e 7.89 na interpretação da música.



Os italianos Marchei & Hotarek desperdiçaram a hipótese de ficar no pódio devido aos erros cometidos no início do programa livre, nomeadamente com uma queda na saída do triplo twist.

Séguin & Bilodeau hipotecaram as suas hipóteses logo no programa curto com erros no salto lançado e no salto lado-a-lado.



Vídeos

Savchenko & Massot
Programa curto

Programa livre


Zabiiako & Enbert
Programa curto

Programa livre


Astakhova & Rogonov
Programa curto

Programa livre


Marchei & Hotarek
Programa curto

Programa livre


Séguin & Bilodeau
Programa curto

Programa livre


Ruest & Wolfe
Programa curto

Programa livre


Efimova & Korovin
Programa curto

Programa livre


Butkute & Ermolaev
Programa curto

Programa livre


Resultado final