quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Alerta TV - Patinagem Artística no Eurosport

Os campeonatos dos Quatro Continentes referentes à época 2016/2017 vão decorrer entre os dias 16 e 19 de Fevereiro na Coreia do Sul. Em Portugal, a competição poderá ser acompanhada no canal Eurosport 2. Em baixo podem conferir as tabelas e horários das transmissões previstas. Infelizmente, parece que a direcção do canal decidiu deixar de fora a dança curta e o programa curto feminino.








Transmissões dos Campeonatos dos Quatro Continentes no canal Eurosport 2


 


DIA 17-02-2017


 


08H30
Dança Livre
Diferido
10h00
Programa curto masculino
Directo
18h00
Programa curto masculino
Diferido
20h30
Programa curto masculino
Diferido


 


DIA 18-02-2017


 


03H30
Programa curto masculino
Diferido
08h30
Programa livre de pares
Diferido
10h00
Programa livre feminino
Directo
18h00
Programa curto masculino
Diferido
20h30
Programa livre feminino
Diferido
21h45
Programa livre de pares
Diferido


 


DIA 19-02-2017


 


03H30
Programa livre de pares
Diferido
04h30
Programa livre de pares
Diferido
08h00
Programa livre masculino
Diferido

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

São Valentim de gelo :)


De manhã estava a ouvir a canção “All you need is love” dos lendários Beatles e pensei: hoje é o dia perfeito para fazer um post no blogue. Como hoje é dia de São Valentim, nada melhor do que aproveitar a ocasião para tentar responder a questões que muitas leitoras e leitores me dirigem sobre a vida amorosa dos nossos queridos patinadores que abrilhantam o nosso desporto tão amado. Então vamos a isto.

O par russo Tatiana Volosozhar & Maxim Trankov, campeões olímpicos desta disciplina em Sochi 2014, despertaram a curiosidade dos fãs quase desde o momento em que formaram parceria. Tatiana costumava patinar com Stanislav Morozov com quem também partilhava a sua vida fora das pistas de gelo. Quando Maxim formou parceria com Tatiana, ele namorava com uma garota chamada Alexandra que nada tinha a ver com a patinagem artística. No entanto, aquilo que muitos consideravam inevitável aconteceu: Maxim e Tatiana apaixonaram-se. Consta que foi Tatiana a dar o primeiro passo. Inicialmente, eles foram muito discretos também por respeito a Stanislav Morozov pois ele fazia parte da equipa técnica que os treinava. Por altura dos Jogos Olímpicos de Sochi, eles continuavam a esquivar-se às perguntas dos jornalistas e fãs mas a sua relação amorosa já era demasiado evidente. Tatiana e Maxim acabaram por oficializar a sua relação publicamente depois de concluída a sua participação nos Jogos Olímpicos de Sochi. Entretanto, eles casaram em Moscovo com uma grande festa e partilharam esse momento importante das suas vidas com a sua fiel legião de fãs. Em Fevereiro de 2017, Tatiana e Maxim vão ser pais de uma menina. Até agora a sua história tem sido de conto de fadas.

Eu recebo várias mensagens com perguntas sobre o par de dança francês Gabriella Papadakis & Guillaume Cizeron (actuais campeões da Europa e do Mundo). A sua cumplicidade e união no gelo faz sonhar muitos fãs. Lamento ser a portadora de “más-notícias” mas Gabrilella e Guillaume não são namorados. A sua relação no gelo é intensa mas fora das pistas são meramente grandes amigos. Eles patinam juntos desde crianças e consta que sempre se deram muito bem mas apenas isso. Gabriella namora há algum tempo com Stefano Caruso (patinador alemão de origem italiana) e já publicou várias fotos nas redes sociais confirmando a sua relação. Quanto a Guillaume não sei nada de concreto.

Quanto ao par canadiano Meagan Duhamel & Eric Radford a resposta é não. Eles não são nem nunca foram namorados. Meagan é casada com Bruno Marcotte que é um dos treinadores responsáveis por este par. Julie Marcotte, irmã de Bruno e cunhada de Meagan, é a coreógrafa do par. Isto já é quase um negócio de família. J Já Eric Radford namora há algum tempo com o patinador espanhol Luís Fenero. Ambos têm publicado algumas fotografias bem giras e carinhosas nas redes sociais. Luís compete na categoria de dança com Célia Robledo.

Por falar em espanhóis, aproveito a oportunidade para responder-vos sobre o novo par composto por Sara Hurtado & Kirill Khaliavin. Quando se soube a confirmação sobre esta nova parceria surgiram alguns rumores sobre o porquê desta parceria e houve quem achasse que uma relação amorosa podia estar por trás desta decisão. Nada mais errado. Sara e Kirill não são um casal fora das pistas de gelo. Kirill está numa relação com a sua anterior parceira no gelo Ksenia Monko. A parceria no gelo terminou devido a problemas físicos que afastaram Ksenia da competição. Apesar desse problema, a relação amorosa entre Kirill e Ksenia mantém-se.

Quem é um casal mais do que assumido é o par Alexa Scimeca & Chris Knierim dos Estados Unidos. Alexa e Chris estão juntos há vários anos e casaram no Verão de 2016. Foi curioso saber que a sua treinadora Dalilah Sappenfield é que dirigiu a cerimónia do seu casamento. Alexa é uma esposa tão orgulhosa que decidiu passar a usar o nome de casada nas competições internacionais. Desde então ela aparece registada como Alexa Scimeca Knierim. Este casal também não se coíbe de partilhar algumas fotos com os fãs através das redes sociais.

Quanto a Valentina Marchei e Ondrej Hotarek a resposta é negativa. Eles não são namorados. A sua química nas pistas de gelo é inegável e à conta disso têm conquistado muitos fãs por todo o mundo. Eu não sei quem é o namorado de Valentina mas Ondrej é casadíssimo e apaixonadíssimo por Anna Cappellini. Anna compete na disciplina de dança com o parceiro Luca Lanotte. Anna e Luca foram namorados quando eram mais novos mais terminaram de forma civilizada e sem beliscar a sua parceira no gelo. Esta é uma grande prova de maturidade. Aplausos para Anna e Luca. Quanto a Luca, ele mantém uma relação amorosa com patinadora britânica Eve Bentley e já são pais de um menino.

Os patinadores na categoria individual, como é óbvio, não estão imunes às partidas do cupido. O patinador checo Michal Brezina namora há alguns anos com a patinadora israelita Danielle Montalbano (ela tem origem italiana). Michal e Danielle estão noivos e a sua relação foi assumida com toda a naturalidade através das redes sociais. No passado, Michal namorou com a patinadora Allison Reed (a irmã mais nova de Cathy e Chris Reed).

Por terras russas, Konstantin Menshov e Maria Artemieva são um casal mais do que assumido. Aliás, eles sempre agiram com naturalidade quanto ao facto de serem namorados e sempre se apoiaram mutuamente em competições. Continuam juntos e aparentam uma grande felicidade.

Por falar em patinadores russos, são recorrentes as perguntas sobre Ekaterina Bobrova e Dmitri Soloviev. Ekaterina e Dmitri trabalham muito bem juntos e sempre foram bons amigos. Ekaterina é casada com o patinador Andrei Deputat desde Julho de 2016. Eu recordo-me que cheguei a partilhar pelo menos uma foto do casamento deles (talvez tenha partilhado no facebook – vão lá espreitar). Dmitri foi casado com a antiga patinadora Ekaterina Lobanova e juntos tiveram um filho que agora deve ter cerca de 7 anos de idade. Depois do divórcio, Dmitri namorou com a patinadora Ksenia Stolbova mas já se separaram.

Evgenia Tarasova & Vladimir Morozov, campeões da Europa em 2017, namoram há algum tempo mas são muito discretos nas suas manifestações públicas de afecto.

Quanto a Tessa Virtue e Scott Moir, campeões olímpicos de dança em 2010, bastou que eles voltassem à patinagem de competição para que regressassem as perguntas sobre a natureza da sua relação fora das pistas de gelo. A resposta continua a ser a mesma. Eles não são namorados.

Os franceses Vanessa James & Morgan Ciprés, que recentemente conquistaram a medalha de bronze nos Europeus, são namorados quase desde o início da sua parceria. A sua relação fora das pistas de gelo têm-lhes permitido angariar mais uns quantos fãs. É quase impossível não gostar de vê-los juntos.

Victoria Sinitsina e Nikita Katsalapov namoram quase desde o momento em que formaram parceria nas pistas de gelo. Nikita é discreto mas Victoria de vez em quando lá partilha algumas fotos tanto no twitter como no Instagram.

O par de dança Alexandra Stepanova e Ivan Bukin forma parceria dentro e fora das pistas de gelo. No entanto, ambos são discretos e raramente aparecessem em redes sociais. Ivan é filho do antigo campeão de dança Andrei Bukin e de Elena Vasiuk. Curiosamente os treinadores de Stepanova & Bukin também são casados. Alexander Svinin e Irina Zhuk estão juntos há muitos anos e têm trabalhado em conjunto em grande harmonia.

E já que mencionei campeões do passado não posso deixar de escrever sobre Marina Klimova & Sergei Ponomarenko. Marina e Sergei começaram a patinar juntos em 1979 e casaram em 1984. Enquanto parceiros conquistaram quatro títulos europeus, três títulos mundiais e três medalhas olímpicas (incluindo o ouro em 1992). Estão juntos até hoje. O seu filho mais novo é Anthony Ponomarenko. Com certeza que já o viram pois ele compete na categoria de dança com Christina Carreira e tem obtido bons resultados. De momento, Ponomarenko e Carreira ainda estão no escalão júnior.

Por hoje é isto. Se tiverem mais questões não hesitem em mandar-me mensagem no twitter ou no facebook ou então deixem-me um comentário. Pode ser que eu consiga ajudar. J




quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Campeonatos da Europa 2017 - Homens

Campeonatos da Europa 2017

Entre os dias 25 e 29 de Janeiro em Ostrava (Rep. Checa)



Categoria de Homens

Resultado final



Patinadores que não se qualificaram para o programa livre





Comentário
Em breve

Vídeos

Javier Fernandez
Programa curto

Programa livre


Maxim Kovtun
Programa curto

Programa livre


Mikhail Kolyada
Programa curto

Programa livre


Jorik Hendrickx
Programa curto

Programa livre


Alexey Bychenko
Programa curto

Programa livre


Moris Kvitelashvili
Programa curto

Programa livre


Deniss Vasiljevs
Programa curto

Programa livre


Alexander Samarin
Programa curto

Programa livre


Chafik Besseghier
Programa curto

Programa livre


Paul Fentz
Programa curto

Programa livre


Alexander Majorov
Programa curto

Programa livre


Michal Brezina
Programa curto

Programa livre

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Campeonatos da Europa 2017 - Senhoras

Campeonatos da Europa 2017


Entre os dias 25 e 27 de Outubro em Ostrava (Rep. Checa)



Categoria de Senhoras

Resultado final



Patinadoras que não se qualificaram para o programa livre



Comentário


A patinadora Evgenia Medvedeva foi novamente coroada como a rainha da patinagem artística europeia. A adolescente tem uma eficácia de 100% em campeonatos da Europa: duas participações, duas medalhas de ouro. Evgenia fez uma competição de sonho em Ostrava com notas excelentes quer no programa curto como no programa livre e sem um único elemento punido com grau de execução negativo.

No programa curto, a pontuação conseguida por Evgenia foi de 78.92pts. A nota é impressionante mas mesmo assim Evgenia já conseguiu melhor nesta temporada. Os elementos de salto foram todos colocados na segunda metade do esquema para beneficiar de 10% de bónus sobre o valor base de cada um. A combinação apresentada foi de triplo flip-triplo toe loop (12.16pts), o salto isolado foi o triplo loop (7.21pts) e o duplo axel (4.63pts) completou os saltos no programa. Os peões foram todos classificados com o nível 4 e totalizaram 12.40pts. A sequência de passos também foi de nível 4 e recebeu 5.60pts. Nos segmentos dos componentes as suas médias fixaram-se em 9.14 na perícia, 9.07 nas transições, 9.36 na performance, 9.21 na composição e 9.36 na interpretação da música. Praticamente todos os juízes lhe atribuíram notas de 9.00 ou mais na sua escala individual para cada segmento. As excepções foram um 8.75 nas transições atribuído pelo juiz 3 e um 8.75 na perícia atribuído pelo juiz 9. Eu pensei que ela iria obter pelo menos um 10.00 no segmento de performance e um 10.00 na composição. Desta vez os juízes foram um pouco semíticos. Talvez nos campeonatos do mundo isso aconteça. A coreografia e a interpretação foram novamente muito bem conseguidas e Evgenia soube transmitir a emoção certa com a música e a história que estava a contar.

No programa livre, Evgenia bateu o recorde do mundo com uma pontuação de 150.79pts. O programa foi excelente mas Evgenia foi marota no final do esquema. É que ela colocou quatro combinações no programa quando as regras só permitem a realização de três. Além disso também incumpriu de propósito a regra que limita o número de repetições do mesmo salto dentro do programa. É que Evgenia acabou por efectuar cinco toe loops no esquema… Nos campeonatos nacionais da Rússia ela fez uma façanha semelhante. Em resultado disto, na combinação final de duplo axel-triplo toe loop, o segundo salto foi considerado inválido apesar de ter sido bem executado. As combinações válidas foram as de triplo flip-triplo toe loop (11.00pts), duplo axel-duplo toe loop-duplo toe loop (7.35pts) e de triplo salchow-triplo toe loop (10.27pts). Para além destes saltos, Evgenia também efectuou um triplo lutz (6.70pts), um triplo loop (7.21pts) e um triplo flip isolado (7.43pts). No triplo lutz ela poderia ter alcançado mais algumas décimas através do grau de execução mas, como levou uma advertência relativa à definição de entrada no salto, isso não foi possível. No que diz respeito aos peões, todos alcançaram o nível 4 e totalizaram 13.27pts. A sequência de passos de nível 4 obteve 5.80pts e a sequência coreográfica recebeu 3.50pts. Nos segmentos dos componentes que fazem parte da segunda nota, as médias obtidas foram de 9.29 na perícia, 9.04 nas transições, 9.54 na performance, 9.54 na composição e 9.43 na interpretação da música. A juiz 3 foi a mais “severa” no que diz respeito aos componentes ao atribuir-lhe 8.75 nas transições e na composição. As restantes notas na escala individual dos juízes foram de 9.00 ou mais. No livre, Evgenia conseguiu três notas de 10.00: um para a performance e dois para a composição.

Algumas pessoas continuam a criticar o tema do programa livre de Evgenia desta temporada. Eu estive a pesquisar em alguns fóruns e nas redes sociais (principalmente no twitter) e fiquei com a sensação que a maior parte das críticas são feitas por estado-unidenses e canadianos. O desagrado prende-se essencialmente com o facto do coreógrafo Ilia Averbukh se ter inspirado nos ataques de 11 de Setembro de 2001. Há muita gente que considera que este tema não é apropriado para uma competição. No entanto, eu acho essas críticas completamente exageradas. Em primeiro lugar, já não é a primeira vez que patinadores utilizam temas coreográficos inspirados em tragédias reais. Basta pensar na quantidade de coreografias baseadas na enorme tragédia do holocausto… O terrorismo é um tema actual que diz respeito a cada um de nós. Qualquer um de nós se pode imaginar na mesma situação que Medvedeva interpreta no programa: despedir-se de alguém no aeroporto, acontecer um ataque terrorista e no final atender uma chamada com más notícias sobre a pessoa de quem nos despedimos. Evgenia é muito jovem mas demonstrou durante toda a temporada ter a capacidade de interpretar este tema.

Anna Pogorilaya ficou com a medalha de prata e estava bastante contente com o seu resultado. Ela tem estado a realizar a melhor temporada da sua carreira em termos de consistência de competição para competição. Nota-se que Anna está mais confiante em si mesma e as suas prestações têm melhorado com isso. É quase como se ela finalmente estivesse a acreditar verdadeiramente no seu potencial.

No programa curto Anna conseguiu uma nota de 74.39pts. Todos os elementos técnicos beneficiaram de grau de execução positivo. A combinação de triplo lutz-triplo toe loop (11.70pts) foi o primeiro elemento do esquema. O triplo loop (6.41pts) e o duplo axel (4.20pts) foram efectuados na segunda metade do programa. Os peões atingiram todos o nível 4 e contribuíram com um total de 12.19pts para a sua nota técnica. A sequência de passos foi um dos momentos altos do esquema, tendo alcançado o nível 4 e 5.40pts. Em termos de nota dos componentes eu pensei que ela iria obter médias mais altas. A juiz 3 só lhe atribuiu 8.00 nas transições e na performance (!). O juiz 8 atribuiu-lhe apenas 7.75 nas transições, 8.00 na composição e 8.00 na interpretação. As suas médias acabaram por fixar-se em 8.61 na perícia, 8.43 nas transições, 8.79 na performance, 8.54 na composição e 8.75 na interpretação da música.

No programa livre, Anna acabou por realizar algumas alterações ao plano de saltos que tinha traçado. Essas alterações prejudicaram-na um pouco no que diz respeito aos graus de execução. A primeira grande alteração ocorreu no primeiro salto. Ela tinha planeado apresentar uma combinação de triplo lutz-triplo toe loop mas acabou por realizar meramente o primeiro salto. O triplo lutz acabou punido com grau de execução negativo e recebeu 5.70pts. A outra grande alteração ocorreu no sexto elemento pois estava prevista a execução de uma combinação de triplo lutz-loop-triplo salchow e ela realizou um triplo lutz-triplo toe loop (9.60pts). Esta combinação foi punida com grau de execução negativo pois Anna não completou efectivamente a terceira rotação do toe loop. Outra alteração aconteceu no sétimo elemento. Era suposto que Anna realizasse uma combinação de triplo loop-duplo toe loop mas ela improvisou uma combinação de triplo loop-loop simples-triplo salchow (10.40pts). Este elemento também acabou punido com grau de execução negativo. O nono elemento foi mudado de triplo loop isolado para uma combinação de triplo loop-duplo toe loop (7.84pts). Como podem constatar ela teve de pensar muito durante o programa para não perder a concentração e cometer erros quando ao limite de combinações e de repetições de saltos. Em algumas competições em temporadas anteriores, Anna deixava-se ir abaixo depois de cometer algum erro. Apesar destas mudanças todas de última hora, penso que ela pode ficar satisfeita consigo mesma pois demonstrou maior domínio sobre os seus nervos e capacidade de reacção à adversidade. É um sinal muito positivo para o futuro competitivo desta patinadora. Os restantes saltos efectuados foram o triplo flip (5.50pts), um duplo axel (4.09pts) na primeira metade do esquema e um duplo axel (3.92pts) na segunda metade do programa. Os peões foram todos classificados com o nível 4 e permitiram-lhe amealhar 12.20pts. A sequência de passos de nível 4 recebeu 5.30pts e a sequência coreográfica rendeu-lhe 3.20pts. Em termos de segunda nota, penso que a impressão geral do programa ficou um pouco afectada devido às alterações técnicas. Acho que essa circunstância não lhe permitiu projectar tanta emoção na interpretação da música e, claro está, isso reflectiu-se nas notas obtidas nos segmentos dos componentes. Mesmo assim as suas médias foram boas: 8.71 na perícia, 8.50 nas transições, 8.68 na performance, 8.75 na composição e 8.64 na interpretação da música.

Carolina Kostner regressou aos grandes palcos da competição depois de ter estado ausente devido ao tempo de suspensão a que foi punida devido a “cumplicidade” no caso de doping que envolveu o seu ex-namorado Alex Schwazer. Essas histórias já são águas passadas e ela está de volta em boa forma física e com boa atitude. É de salientar que Carolina pediu ajuda ao lendário treinador russo Alexei Mishin para preparar esta temporada. Aliás Mishin acompanhou-a pessoalmente nestes campeonatos da Europa.

No programa curto, Carolina conseguiu a terceira posição com uma pontuação de 72.40pts. O elemento que mais deu nas vistas em termos de execução foi a sequência de passos (5.70pts), onde Carolina brilhou e conseguiu o nível 4. Foi o único elemento que Carolina levou a melhor sobre Medvedeva em termos de comparação directa. Os peões de Carolina totalizaram 10.53pts, sendo que o peão layback e o de combinação foram de nível 3. O peão flying camel foi de nível 4. Na minha opinião o peão flying camel devia ter sido punido com grau de execução negativo de -1. No entanto apenas o juiz 2 marcou -1 nesse elemento. A maioria do painel optou por colocar a marcação 0. Quanto a saltos ela foi conservadora. A combinação escolhida foi de triplo toe loop-triplo toe loop (9.90pts) e isso colocou-a imediatamente em desvantagem face a Medvedeva e a Pogorilaya. É que o valor base do triplo toe loop-triplo toe loop é de 8.60pts enquanto que o valor base de triplo lutz-triplo toe loop é de 10.30pts e o de triplo flip-triplo toe loop na segunda metade do programa é de 10.56pts. Como salto isolado, Carolina realizou um triplo loop (6.40pts). O duplo axel (4.27pts) foi o único salto apresentado na segunda metade do programa. Nos segmentos dos componentes, Carolina conseguiu médias de 8.89 na perícia, 8.61 nas transições, 8.96 na performance, 8.93 na composição e 9.11 na interpretação da música.

No programa livre, Carolina obteve uma pontuação de 138.12pts. Tal como no curto, Carolina abordou o programa livre de forma conservadora. O primeiro aspecto a salientar é que ela nem sequer tentou o triplo lutz que é o salto mais valioso em termos de valor base pois é o salto com a definição de entrada mais complexa. Em termos de combinações a italiana também não arriscou muito e preferiu tentar apostar em obter bons graus de execução. As combinações realizadas no esquema foram as seguintes: triplo toe loop-triplo toe loop (10.00pts), duplo axel-duplo toe loop-duplo loop (7.11pts) e triplo loop-duplo toe loop (3.59pts). A combinação de triplo loop-duplo toe loop foi punida com grau de execução negativo visto que a terceira rotação do loop não foi de facto completada. Os saltos apresentados de forma isolada foram o triplo flip (6.20pts), o triplo loop (6.20pts), o duplo axel (4.34pts) e um triplo salchow (5.94pts). Nos peões ela recebeu um total de 11.77pts, sendo que o primeiro e o segundo atingiram o nível 4 e o último foi de nível 3. A sequência de passos foi excelente e foi classificada com o nível 4, tendo recebido 5.70pts. A sequência coreográfica rendeu-lhe 3.60pts. Quanto aos segmentos dos componentes, as suas médias foram muito boas com 9.25 na perícia, 8.86 nas transições, 9.18 na performance, 9.39 na composição e 9.36 na interpretação da música. O juiz 7 atribuiu-lhe a nota 10.00 no segmento de composição. Carolina tem uma excelente presença em pista e é elegantíssima. Não sei se ela planeia alterar o seu plano de saltos para os mundiais que se avizinham mas para já os componentes são a parte mais forte deste programa. Com esta medalha de bronze, Carolina elevou para dez a sua colecção de medalhas conquistadas em campeonatos da Europa.

Maria Sotskova estreou-se em campeonatos da Europa com uma boa prestação embora sem ter ficado isenta de erros. A adolescente russa está a fazer a transição do escalão júnior para o sénior mas a verdade é que acabou por estar a lutar por uma medalha. O programa curto correu-lhe bem mas no livre parece-me que ela acusou um pouco a pressão. Talvez a falta de experiência internacional a este nível a tenha afectado um pouco. No entanto, este quarto lugar é promissor e deixou boa impressão geral.

No programa curto, Maria Sotskova ficou com uma nota de 72.40pts. O seu plano de salto foi o mais ambicioso do curto quando comparada com outras patinadoras. Ela apresentou uma combinação de triplo lutz-triplo toe loop (11.20pts) no início do programa e realizou um triplo flip (7.13pts) e o duplo axel (4.13pts) na segunda metade do esquema. Enquanto Medvedeva, Pogorilaya e Kostner optaram por um triplo loop como salto isolado, Sotskova arriscou um triplo flip que tem um valor base superior. Os peões foram todos classificados com o nível 4, tendo acrescentado um total de 11.90pts à sua nota técnica. A sequência de passos também foi de nível 4 e obteve 5.30pts. As médias apuradas nos segmentos dos componentes foram de 8.25 na perícia, 8.00 nas transições, 8.21 na performance, 8.04 na composição e 8.14 na interpretação da música.

Maria cometeu alguns erros no programa livre e a sua pontuação foi de 120.35pts. Esta patinadora costuma ser bastante consistente mas desta vez sofreu duas quedas. Pode ser que o facto de estar a lutar por uma medalha lhe tenha afectado o sistema nervoso. Os erros cometidos ocorreram na combinação de triplo lutz-triplo toe loop (6.90pts), no triplo loop (2.76pts) e no triplo lutz isolado (2.52pts). Na combinação de triplo lutz-triplo toe loop, Maria caiu na recepção do segundo salto para além de que a terceira rotação do toe loop não foi realmente completa. A queda fez com que lhe fosse aplicada automaticamente uma dedução de um ponto, sendo que o elemento também foi punido com grau de execução negativo. No triplo loop faltou cerca de um ¼ de volta na última rotação e, em consequência, o elemento teve de perder pontos em sede de grau de execução. A segunda queda ocorreu no triplo lutz isolado onde também faltou ¼ de volta na terceira rotação. Em resultado foi aplicada mais uma dedução automática de um ponto e o lutz isolado foi penalizado no grau de execução. Estes erros custaram-lhe caro na nota técnica e arredaram-na do pódio. Ela precisava de uma execução técnica impecável pois Carolina é mais forte que ela nos componentes. Os outros saltos apresentados foram bem executados: o triplo flip (6.00pts), combinação de triplo flip-loop simples-triplo salchow (11.92pts), combinação de duplo axel-duplo toe loop (5.63pts) e duplo axel (4.20pts). O peão flying camel foi de nível 3 enquanto o peão layback e o de combinação alcançaram o nível 4, num total de 11.36pts. A sequência de passos foi classificada com o nível 4 e recebeu 5.10pts. Na sequência coreográfica ela conseguiu 2.80pts. Nos segmentos dos componentes que fazem parte da segunda nota, as médias apuradas foram de 8.18 na perícia, 7.75 nas transições, 7.61 na performance, 7.93 na composição e 8.00 na interpretação da música.

A francesa Laurine Lecavelier foi a grande surpresa deste campeonato da Europa e de certeza que conquistou muitos fãs com o seu programa livre.

O programa curto de Laurine conquistou 63.81pts e permitiu-lhe ficar no quinto lugar nessa fase da competição. O esquema de saltos foi o seguinte: combinação de triplo lutz-triplo toe loop (11.00pts), triplo loop (5.81pts) e duplo axel (4.13pts). O loop e o axel foram efectuados na segunda metade do programa e, por causa disso, beneficiaram de pontuação bónus. Os peões foram todos de nível 4 e totalizaram 10.68pts. A sequência de passos foi classificada com o nível 3 e recebeu 4.01pts. O programa foi sólido e bem estruturado. A sua nota só não foi maior porque Laurine ainda executa a maioria dos elementos de forma mediana. Talvez com o tempo ela possa melhorar a execução para poder amealhar ainda mais pontos em termos de graus. Na segunda nota, as suas médias foram de 7.11 na perícia, 6.82 nas transições, 7.18 na performance, 7.00 na composição e 7.11 na interpretação da música.

Laurine brilhou no programa livre e galvanizou o público que estava em Ostrava a assistir ao vivo. A coreografia e a interpretação foram dos aspectos mais positivos do programa. O truque de fazer uma mudança no vestido durante a prova foi bastante popular entre os fãs que estavam a seguir a prova no twitter. Na parte técnica, apenas dois elementos foram punidos com grau de execução negativo. Foi o que aconteceu na combinação de duplo axel-triplo toe loop (6.90pts) e no triplo loop (4.21pts). Os outros saltos correram bem com destaque para a combinação inicial de triplo lutz-triplo toe loop (11.20pts). Laurine apresentou ainda um triplo flip (5.90pts), um triplo salchow (5.64pts), uma combinação de triplo lutz-loop simples-duplo salchow (8.58pts) e um duplo axel (4.13pts). Quanto a peões, o flying camel foi de nível 4 enquanto o layback e o de combinação foram de nível 3. O total de pontos obtido nos peões foi de 10.39pts. A sequência de passos foi classificada com o nível 3 e recebeu 3.94pts. Na sequência coreográfica ela amealhou 3.20pts. Nos componentes que fazem parte da segunda nota, as médias nos segmentos foram de 7.64 na perícia, 7.11 nas transições, 7.93 na performance, 7.64 na composição e 7.93 na interpretação da música. De salientar que lhe foi aplicada uma dedução automática de um ponto devido a violação das regras sobre os limites de tempo.

Em termos gerais a competição foi bastante agradável de se seguir. Nicole Rajicova e Loena Hendrickx foram outras das patinadoras em destaque. Olhando para os resultados finais, é bem possível que a Suécia, a Finlândia e a Alemanha venham a perder um lugar cada um para os próximos campeonatos da Europa. Ou seja, em vez de duas patinadoras apenas vão poder inscrever uma. Já a Itália poderá inscrever três patinadoras devido à conjugação de resultados de Carolina Kostner e Roberta Rodeghiero. A Eslováquia, a Bélgica e a Hungria ganharam o direito a mais uma inscrição para os próximos europeus.


Videos

Evgenia Medvedeva
Curto

Livre


Anna Pogorilaya
Curto

Livre


Carolina Kostner
Curto

Livre


Maria Sotskova
Curto

Livre


Laurine Lecavelier
Curto

Livre




Nicole Rajicova
Curto


Livre


Loena Hendrickx
Curto


Livre




Ivett Toth
Curto


Livre




Roberta Rodeghiero
Curto


Livre




Nicole Schott
Curto


Livre









terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Alerta TV - Patinagem Artística no Eurosport







Os campeonatos da Europa de patinagem artística no gelo estão quase a começar e o Eurosport vai dedicar várias horas da sua grelha de programação a este evento. 
Da informação disponibilizada pelo canal, parece que o plano de transmissões é o seguinte, com referência a hora de Lisboa:
(Atenção pois os horários podem sofrer alterações devido à transmissão do Open da Austrália em ténis) 



Canal Eurosport 1


25-01-2017
17h45
Programa curto Pares
Directo
26-01-2017
00h30
Programa curto Pares
Diferido
26-01-2017
18h00
Programa livre Pares
Directo
27-01-2017
00h30
Programa livre Pares
Diferido
27-01-2017
18h00
Programa livre Senhoras
Directo
28-01-2017
00h30
Programa livre Senhoras
Diferido
28-01-2017
17h00
Dança livre
Diferido
28-01-2017
18h30
Programa livre Homens
Directo
29-01-2017
00h30
Programa livre Homens
Diferido

Canal Eurosport 2


25-01-2017
13h00
Programa curto Senhoras
Directo
26-01-2017
04h00
Programa curto Pares
Diferido
26-01-2017
09h45
Programa livre Pares
Diferido
26-01-2017
13h00
Dança curta
Directo
27-01-2017
10h15
Programa livre Pares
Diferido
27-01-2017
13h45
Programa curto Homens
Directo
29-01-2017
17h00
Gala
Diferido